Español  |  English

A Pousada

A Pousada com vistas sobre o estuário do Sado

A Pousada de Setúbal encontra-se instalada no Forte de São Filipe, com magníficas vistas sobre a cidade de Setúbal, o estuário do Sado, a Península de Tróia e toda a envolvente do Parque Natural da Arrábida. Apreciar o pôr-do-sol na esplanada das ameias, saboreando um Moscatel de Setúbal, recordando os passeios pela Serra da Arrábida, é um momento inesquecível para qualquer visitante.

História da Pousada:

A construção vista do pátio exterior que circunda o castelo, apresenta-se severa e sóbria, como modelar exemplo arquitectónico de traço militar que é. A Obra, cujo projecto obedecia aos modelos mais avançados da época, foi levada a cabo pelo Engenheiro militar italiano, Filipe Terzi.

A primeira cintura de muralhas, mandada construir no século XIV e que ficou conhecida pelo nome de cerca velha, é constituída por quatro portas, dezasseis postigos e numerosas torres e cubelos. A graciosidade das altas torres e o garrido das ameias e merlões são aqui trocados pela imponência de um perfil recortado num traço aberto de fundo em céu e mar, um traço radical a romper esta fusão de azul.

A fortificação abaluartada de planta irregular com seis pontas é reveladora das adaptações à artilharia, permitindo grande diversidade de posições de tiro e maior eficácia na defesa. Por outro lado, as muralhas são de construção inclinada de forma a oferecer também maior resistência ao impacto de projécteis. As saídas dos subterrâneos humanizam, em cada um dos seus ângulos interiores a impenetrabilidade da muralha, se bem que nada se vislumbre na escuridão destas aberturas.

O escudo nacional com as suas cinco quinas esculpidas na pedra, representando as nossas cruzadas, sobre a chave de um arco emoldurado em alhetas, é o único elemento decorativo do belo pórtico do Castelo. Embora não haja vestígios de um fosso com água contornando a construção, reconhecem-se na parede os traços da anterior existência de uma ponte levadiça. Esta entrada encontra-se vedada por duas portas de madeira, magníficas de volume e antiguidade, com os seus quatro batentes ornamentados por compridos gonzos e pesados ferrolhos e cintas, sendo o seu estado ainda original.

Na amplitude do átrio, a nudez e simplicidade das paredes, restauradas recentemente, não deixam margem a especulações e apenas um pequeno forno ali se encontra, quebrando a impessoalidade desta dependência, tendo servido em tempos para aquecer a sentinela. Impossível estimar quantos passos traçaram o desgaste desta laje, mas sabemos que a atravessaram tropas e populares que vitoriosas em 14 de Dezembro de 1640 levaram a guarnição castelhana do Castelo à rendição, como também traidores que tentaram assassinar os nossos reis e aqui foram detidos até ao seu julgamento, ou ainda o nobre passado de Jerónimo de Melo e Castro, governador do Castelo e descendente por linha recta da ligação de D. Pedro e Dª Inês de Castro e o circular vigoroso de tanta gente que na sombra existiu, edificando não só aqui como em todo o País, um passado sob o qual vivemos.

Foram alguns os incentivos ao desenrolar da obra, entre os quais, o lançamento de novos impostos à população e aos negociantes de sal. Embora o forte, cujas obras foram concluídas por volta de 1600, tenha sido mandado edificar na sequência de uma imperiosa necessidade de controlar o acesso à barra do Sado, dos navios estrangeiros que procuravam o forte comércio de sal e pescas, não deixa de ser notável a sua defensiva posição em relação à cidade, factor este que viria a ter expressão na sua tenaz resistência aos tumultos da restauração em 1640.

Com efeito, só no dia 14 de Dezembro do mesmo ano e após seis dias de resistência ao cerco que João Gomes da Silva aqui levantou, depois de aclamar D. João IV Rei de Portugal, esta fortaleza e as suas tropas se renderam aos militares e à população de Setúbal, aceitando por fim o novo regime proclamado na revolução do dia 01 de Dezembro de 1640. Aqui foram retidos, em 28 de Julho de 1641 alguns dos suspeitos de participação na tentativa de regicídio contra o novo rei, tais como D. António de Ataíde, conde de Castanheira e outros, que foram julgados e sentenciados imediatamente, pela conspiração que tinha por chefe o Arcebispo de Braga, D. Sebastião de Matos e Noronha. Foi este Castelo novamente usado como prisão de estado, quando em 1758 aqui foram retidos alguns fidalgos acusados de conspirar contra a vida de D. José I.

A Pousada a noite

Foi acrescentada a casa do Governador que viria a ser consumida pelas chamas em 10 de Fevereiro de 1868, juntamente com os quartéis, na sequência de um acto criminoso que se julga encobrir uma manobra política destinada a desviar a atenção popular das eleições que nesse dia se realizavam na cidade. Também aqui foi aprisionado Paulino de Oliveira, poeta e Jornalista republicano, acusado de encabeçar um violento tumulto popular em Março de 1890. Três anos mais tarde escreve "Em Ferros de El-Rei", em que relata os 30 dias de encarceramento. Em relação à arquitectura do castelo, destaca-se a sala que agora serve de sala de reuniões, mas onde outrora se estirava um carcereiro indiferente, enquanto na dependência anexa os prisioneiros aguardavam sentados o momento de serem conduzidos a uma cela fria e sem luz, onde muitos passariam o resto dos seus dias.

A capela de S. Filipe foi mandada erguer pelo rei D. Manuel em 1736 e contém um valor decorativo que reside na riqueza do azulejo azuis e brancos do século XVIII, que forra cada milímetro das suas paredes e tecto - manifestação de arte da autoria de Policarpo de Oliveira Bernardes, os painéis que representam parte da vida de S. Filipe, quase intactos nos dias de hoje. Nas paredes da capela-mor que envolve o altar, a Virgem pintada em sucessivas cenas da sua vida, terá assistido vezes sem numero ao ritual religioso que ali já não se celebra, pois a última cerimónia foi um casamento em 1973. Ainda assim, se bebe da vista generosa um agradável panorama. A cidade que viu nascer Bocage e Luiza Tody, a cidade que desenvolve ecos do sol escaldante de Julho, transpirando indolente o murmúrio do labor das gentes, existe à esquerda, protegida e súbdita, ante a imponência do forte.

Em frente o rio refresca a visão ensolarada do turista, que estende a curiosidade até onde o Sado vai afagar as areias de Tróia. A serra da Arrábida eleva-se à direita e para lá das curvas onde se perdem filas de carros em busca das praias, se adivinham sombras e frescuras bem capazes de dignificar o crédito paisagístico que merece o nosso Portugal.

Neste Castelo, para além do deleite visual que nos oferece qualquer ponto da muralha, paira um leve cheiro a passado. São passos de uma vida quotidiana soterrada em quatro séculos de história. Se um sopro de imaginação pudesse dar vida às paredes grossas e tumulares veríamos erguer-se da laje fria um quadro animado de vida em corte durante o reinado de Filipe II, rei de Espanha e Portugal. As obras de restauro efectuadas aquando da adaptação à Pousada, inaugurada em 1965, não vieram apagar completamente o traço anterior. Uma certa rusticidade, a despeito da posterior adaptação, confere à Pousada um ambiente verdadeiramente repousante, temperado com decoração adequada, simples e sóbria, óptimas condições, quer pela amplitude das suas instalações, quer pela selecção do seu serviço verdadeiramente à altura à altura do bom turismo que nos propomos praticar.

Quartos

Quarto da Pousada

A Pousada têm um total de 16 quartos, sendo que a Suite e 7 Quartos possuem vista para o mar. Cinco dos quartos estão localizados nas antigas celas e 3 têm vista para o castelo.

Os Quartos dispõem de:

Gastronomia

Restaurante da Pousada
Especialidades
Casamentos e Outros Eventos

O restaurante tem capacidade para 60/65 pessoas, tendo também uma  vista maravilhosa sobre Setúbal e o Sado. No Verão, podemos realizar eventos na nossa esplanada, aí a capacidade já aumenta para 150 / 200 pessoas, por exemplo as Noites do Castelo, Cocktails, casamentos.

Actividades

Esplanada da Pousada
na Pousada
fora da Pousada
Festividades:

Localização

Pousada Road sign Setúbal dista 48 Km de Lisboa.
Locais de Interesse:
Pousadas Próximas:
A Pousada com magníficas vistas sobre o estuário do Sado
Interior da Pousada

Preços

MELHOR PREÇO GARANTIDO
A sua reserva está garantida ao melhor preço disponível na Internet. Se nas próximas 24 horas encontrar um preço mais baixo para a nossa Pousada noutro site, para o mesmo tipo de quarto, condições de pagamento e datas, o mesmo lhe será atribuído.
  Preços em Euros por quarto Duplo por noite com pequeno almoço e taxas
Tipo de quarto 01/08/13
14/09/13
15/09/13
31/10/13
01/11/13
31/03/14
01/04/14 a 31/07/14
e
15/09 to 31/10
01/08/14
14/09/14 (A)
Dom-
Sexta
Sáb Dom-
Sexta
Sáb Dom-
Sexta
Sáb Dom-
Sexta
Sáb Dom-
Sexta
Sáb
(*)Preços desde (*)Preços desde (*)Preços desde (*)Preços desde (*)Preços desde
Standard 140.00 140.00 145.00 175.00 115.00 145.00 145.00 175.00 155.00 185.00
Superior 216.00 252.00 174.00 210.00 138.00 174.00 174.00 210.00 186.00 222.00
Suite - - - - 155.00 195.00 195.00 236.00 209.00 249.00

* Os preços são válidos para um máximo de reserva de 9 quartos, podem variar consoante a disponibilidade, promoções em vigor e a melhor tarifa diária, reconfirme sempre o melhor preço no acto da reserva.

(A) Passagem de Ano - De 28/12/13 a 01/01/14 Preços iguais a 01/08 a 14/09/14

(A) Páscoa - De 17/04/14 a 19/04/14 Preços iguais a 01/08 a 14/09/14

Desconto para ocupação Single - 10.00€ desconto
Cama Extra: Crianças (dos 0 aos 2 anos de idade) - Grátis
Cama Extra: Crianças (dos 3 aos 12 anos de idade) -Grátis
Cama Extra: Crianças (acima dos 12 anos de idade) - mais 30% no preço dos quartos

Cancelamentos: Primeira noite debitada na totalidade caso reserva seja cancelada menos de 48 horas antes de dia de chegada. No-Shows: Valor global da estadia será debitada

Contacto

v/e-mail:

(por favor soletre com cuidado, porque se o endereço estiver errado, não seremos capazes de lhe responder)

v/nome:


mensagem:

 (este processo poderá demorar um pouco, uma mensagem será visualizada quando o mesmo estiver terminado)

Quarto da Pousada
A Pousada
Español  |  English